segunda-feira, dezembro 1

-

sinto saudades , sem a mar o que foi e
sem querer voltar aos balanços da infância.

sinto saudades das coisas da infância.

não desejaria ser de novo criança,
não repetiria os erros
- não por que me arrependa,
não que sinta raiva -
mas, se soubesse não faria.

sinto saudades, sem anseio de tê-las,
das madrugadas e amanheceres.
mas
sinto saudades das madrugadas e amanheceres.

não tomaria da mesma garrafa,
não tropeçaria na escada
- não que me envergonhe,
não que escondesse -
só, já vivi e foi.


Nenhum comentário:

Postar um comentário