segunda-feira, março 17

-

A questão é se preciso agora
E se gosto preciso e quero
Soltando os ombros levo
E vez um quando perco a hora

Poluo de dentro pra fora
Jogo o resto pro teto
Joelho mas não peço
E ainda penso se quero

E pensando as vezes me pego
Pensando se o que é agora
Será sempre querido
E me entristece saber que o querido hoje
Deixara de ser amanhã ou depois.
E pensar que quando o querido esquecido for
Doloroso será lembrar do que foi
querido que ainda é e será
Esquecido que seja quando for
será querido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário