domingo, março 7

Fria Rotina

Todos os dias, sempre igual. Tirava as tralhas da cama, afofava o travesseiro que vinha sobre as almofadas e estendia o cobertor. Depois ligava o ventilador, desligava a luz e ligava a TV; nesse liga-desliga sorria e deitava-se feliz para dormir.

Porém, era nas noites frias que as coisas mudavam, era nas noites frias que sentia falta da mão quente a fazer-lhe carinho. Sentia falta do peito onde apoiar a cabeça até que o sono viesse e do beijo quente de boa noite que o enchia de amor. Era nas noites frias que o gélido fantasma do seu passado voltava para o assombrar. Nas noites frias, tirava as tralhas da cama, afofava o travesseiro que vinha sobre as almofadas e estendia o cobertor. Depois desligava a luz e ligava a TV. Deitava-se para dormir e chorava.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o modo como expõem seus sentimentos ou pensamentos e o modo como "brinca" com as palavras.. seus textos tem alguma correlação com sua vida? pois são muito interessantes!
    Beijos.
    "Baú de espantos"

    ResponderExcluir