terça-feira, novembro 24

Por Que Não Para Você?

Amar de uma vez não tem graça.
Tem que ser aos poucos,
nos pequenos encontros.
Assim se descobre o amor:
no meio de outros,
aquele amor de olho.

Cada olhar, despretencioso que seja,
representa um centelha.
Breve esperança.

Passam vários amores,
versos irregulares de inúmeras dores.
Mas agora é dela,
cada letra, cada estrofe.
Escrevo só para ela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário