sábado, julho 25

Dores de cabeça constantes

Dói, dói muito. Dores de cabeça constantes, gritos incessantes de um nome que não compreendo. Gostaria de entendê-lo, procurar por ele. Talvez parasse minha dor se parassem de gritá-lo à minha orelha. Maldita a hora em que comecei a escutar os ruidos da minha mente, por prazer, por curiosidade. Agora só queria ensurdecer. Há quem queira me internar, remediar, tratar. Não! Queria só dormir sem ouvir aquelas vozes e acordar em silêncio. Talvez acordar em total silêncio resolvesse, só silêncio. Fúnebre silêncio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário